Assembleia Municipal de Lisboa aprova contas do Município

A Assembleia Municipal de Lisboa reuniu a 7 de maio numa sessão marcada pela aprovação das contas do Município.
Na apreciação do Relatório final do Debate Temático “O Impacto do Turismo na Cidade de Lisboa” a Deputada Municipal Carla Madeira lembrou que este debate permitiu confirmar que o turismo tem, não só, uma vertente de dinamização e crescimento económico para a cidade, mas, também, impactos negativos muito marcantes e complexos. Cabe, portanto, aos responsáveis políticos e titulares de cargos públicos ter a visão, a ambição e a determinação de assumir as dificuldades e transformá-las em oportunidades. É este o desafio que se coloca e para o qual temos de estar preparados e capacitados para vencer.
Na apresentação das Demonstrações Financeiras e do Relatório de Gestão 2018, o Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, destacou a elevada responsabilidade financeira do Município, que rompeu com o passado, e permitiu investir mais na cidade e nos lisboetas. O Partido Socialista, em 2007, encontrou o Município altamente endividado e desde então tem vindo a melhorar as contas municipais, tendo já reduziu o passivo em mil milhões de euros. Por outro lado, Fernando Medina, destacou também que Lisboa mantém o IMI n taxa mínima legal e na devolução do IRS continua a ser o concelho da Área Metropolitana que mais devolve aos seus munícipes.
O Deputado Municipal Manuel Portugal Lage apreciou as Demonstrações Financeiras e o Relatório de Gestão do ano 2018, salientando que, uma vez mais, as Contas do Município receberam um parecer positivo, sem quaisquer reservas, por parte do revisor oficial de contas. A governação socialista tem-se pautado por uma política fiscal favorável para as famílias, que devolve dinheiro às pessoas em sede de IRS e mantém o IMI na taxa mínima legal. Afirmou que são estas contas certas e a sustentabilidade financeira do Município quer permitem investir mais na cidade e continuar a melhorar a economia da cidade e a qualidade de vida das pessoas. São opções políticas que se traduzem em mais e melhor cidade!
Por fim foi ainda aprovada a Recomendação 067/03 – Lisboa cidade da tolerância, subscrita pelo Partido Socialista e por 6 Deputados Municipais independentes.